Blog Scl Agro
Safra de Grãos 2023/24: Desafios e Expectativas
Explore as previsões da safra de grãos 2023/24 no Brasil. Entenda como adversidades climáticas podem afetar a produção e os preços de milho e soja.
Diante das adversidades climáticas no Brasil, muitas dúvidas têm surgido em relação à safra 2023/24. Haverá uma menor produção por conta do clima que estamos observando agora? Os preços serão afetados? O produtor de leite terá que lidar com um maior custo na alimentação dos animais?

Sem dúvidas o cenário ainda é imprevisível para responder a estes questionamentos, porém, podemos focar em alguns pontos para tentar visualizar melhor este cenário.

Preços dos grãos

Sobre os preços, até o momento, novembro vem enfrentando uma sutil alta de 0,9% para o milho e uma desvalorização de 0,8% para a soja, segundo o Cepea. Porém, nesta última quinzena de novembro ambos os grãos vêm apresentando um ímpeto de alta no mercado físico brasileiro, puxado justamente pelas incertezas da safra frente às adversidades climáticas no Brasil.

Os gráficos abaixo mostramos preços praticados no mercado físico e os preços futuros do milho em Campinas/SP e da soja em Paranaguá/PR.
Gráfico 1. Preços do milho no mercado físico em Campinas/SP e no mercado futuro
Variação da produção leiteira entre 2021 e 2022. Municípios com variações positivas (azul) e negativas (vermelho), variações absolutas acima de 10 litros/ dia/ km2.

Fonte: Cepea; B3; elaborado por MilkPoint Mercado.

Gráfico 2. Preços da soja no mercado físico e no mercado futuro em Paranaguá/PR
Variação da produção leiteira entre 2021 e 2022. Municípios com variações positivas (azul) e negativas (vermelho), variações absolutas acima de 10 litros/ dia/ km2.

Fonte: Cepea; CBOT; B3; elaborado por MilkPoint Mercado.

É importante observar que 2024 deve iniciar com os preços de ambos os grãos em movimento de alta, entretanto, o próximo ano ainda inicia em um patamar de preço bem abaixo do que 2023 iniciou, em torno de -18% tanto para o milho quanto para a soja. Entretanto, quando observamos a inflação projetada para os grãos em 2024, a soja apresenta uma deflação esperada de 1,7%, enquanto o milho apresenta uma inflação de quase 9%.

Os dados refletem a preocupação dos agentes de mercado, pois apesar do atraso e da necessidade de replantio em algumas regiões, haverá soja disponível no mercado na próxima safra de acordo com o projetado anteriormente, sendo a maior dúvida em relação ao impacto da safrinha do milho a partir deste atraso da soja.

Como será a produção na safra 2023/24

Sobre o andamento da safra 2023/24, a CONAB projeta uma queda de 5,1% na área cultivada do milho, enquanto a soja deve passar por um aumento de 2,8%. Com isso as expectativas em torno das produções dos grãos também apontam para um aumento para a soja (+5,1%) e queda para o milho (-9,7%). Os gráficos a seguir mostram as produções de milho e soja nas safras anteriores e as projeções que já foram publicadas pela CONAB para a safra 2023/24.
Gráfico 3. Série histórica da produção de milho total no Brasil
Densidade da produção leiteira em 2022. Municípios com produção acima de 30 litros/ dia/ km2
Gráfico 6. Série histórica da produção de soja no Brasil
Densidade da produção leiteira em 2022. Municípios com produção acima de 30 litros/ dia/ km2

*projeções

Fonte: CONAB; elaborado por MilkPoint Mercado.

Sobre o andamento do plantio, também divulgado pela CONAB, até a terceira semana de novembro o plantio do milho 1ª safra apresentava um atraso de 14 p.p., enquanto o plantio da soja se encontrava com um atraso de cerca de 10 p.p. em relação à área plantada no mesmo período de 2022, como mostram as figuras a seguir.
Figura 1. Acompanhamento da semeadura de milho no Brasil
Gráfico 1. Litros de leite por pessoa por ano - Análise Regional
Figura 2. Acompanhamento da semeadura de soja no Brasil
Gráfico 1. Litros de leite por pessoa por ano - Análise Regional

Fonte: CONAB

De forma geral, podemos concluir que, apesar das diversas incertezas no mercado do milho e da soja, é claro o viés de alta que os preços passam a demonstrar para os próximos meses em relação aos preços praticados hoje, gerando preocupações para produtores e outros agentes do mercado, e gerando um alerta para os produtores de leite.

Sobre o plantio de um de nossos países vizinhos, a Argentina, o cenário observado é bastante semelhante, com a soja passando por avanços nas projeções de área cultivada, enquanto as projeções para o milho enfrentam uma redução em sua superfície total, também apresentando atrasos devido à falta de chuva até o final de outubro em importantes regiões produtoras. A diminuição da safra na Argentina poderá elevar os preços do milho no mercado internacional, refletindo também em altas dos preços no mercado brasileiro.

Seguiremos acompanhando e trazendo informações sobre o cenário de grãos brasileiro.

Heloisa Vasconcelos